Bem vinda, Laura

Sobrinha, você nasceu no país mais confuso do mundo, em meio ao caos, em meio a um país de intolerantes, mas não liga pra isso, não. Você veio e já mudou tudo

Laura, seja bem vinda ao mundo! Você nasceu na noite de uma quinta-feira, 14 de novembro, um dia de cão, diga-se de passagem, mas, ainda assim, um dia lindo. Você é minha primeira sobrinha e chegou pra fazer tudo novo, pra marcar recomeços, novos ciclos, novas estradas. Seja bem vinda, Laura, você não é só uma âncora para os seus pais, é o farol e, de agora em diante, o navio.

Você nasceu no país mais confuso do mundo; saiba disso. Em meio ao caos, em meio à tristeza, em meio à fome, à ganância e a à corrupção… Mas eu preciso te contar também que tem coisas boas:

Há lugares lindos, Laura, seu pai sabe bem disso. Há pessoas de coração bom – suas avós, por exemplo. Tem gente, Laura, que faz coisas boas, que ajuda, que transforma… há histórias, Laura, para serem ouvidas, livros incríveis para serem lidos, comidas maravilhosas para serem provadas… O mundo é bom, Laura, apesar de tudo.

Mas não se avexe, sobrinha! Tudo, tudo ao seu tempo. O mundo é grande e a gente – todo mundo – é só um pinguinho de água em meio a esse mar de tudo que existe. Seja bem vinda ao mesmo mundo de Maria e de Raul, seus primos – que você precisa conhecer em breve. Eles vão te amar, viu? Mais do que você imagina.

Por falar em amor, sobrinha, isso não vai te faltar, tá? Por nenhum segundo.

Ah, preciso te falar… Seu quarto é lindo, seus pais são loucos por você e te esperaram com uma ansiedade que não se explica.

Laura, você chegou e já não falta mais nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *