Site afirma que repórter de Canaã é trambiqueiro e diz que sua esposa já acumula mais de 40 faltas no serviço público

Segundo a reportagem publicada em um site desconhecido, Pedro Reis está afastado do serviço público por conta de um acidente e recebe benefício do INSS, porém trabalha ativamente em seu blog e ainda presta serviços para uma faculdade particular de Canaã. Repórter se defende da acusação e afirma que a Polícia Civil já investiga o autor da reportagem

Polêmico, independente, amado por alguns, odiado por muitos. Não é segredo para ninguém que o repórter Pedro Reis, o popular Chibata, ‘causa’ em Canaã dos Carajás há muitos anos. Sem ter medo de dizer o que pensa e representando a voz de muitos, Chibata viu seu nome envolvido em uma polêmica na última terça-feira (25). Um site desconhecido do público de Canaã dos Carajás publicou uma notícia revelando um escândalo: “Cai a máscara: em Canaã, ‘repórter-justiceiro’ é trambiqueiro de primeira’. Nenhum jornalista assinou a reportagem.

De acordo com a publicação, Pedro, que é funcionário público concursado do município de Canaã e está afastado por conta de um acidente que sofreu há alguns meses, recebe auxílio do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), mas que continua trabalhando ativamente em seu blog de notícias e que presta, também, serviços a uma faculdade particular que atua em Canaã.

O site questiona de forma agressiva: “Se Pedro é capaz de trabalhar para a faculdade, por que não volta ao serviço? Cobrar tanta decência do poder púbico e ser trambiqueiro é justo? Vale lembrar que o “repórter” é, também, uma das pessoas que mais cobra aumento salarial e benefícios da prefeitura daquela cidade, no entanto, há muitos meses não é visto em seu posto de trabalho.

A informação exposta no site vai ainda mais longe e coloca a esposa de Pedro Reis, a servidora da Câmara de Canaã, Ideni Costa, no centro de toda a polêmica. O texto afirma que Ideni já acumula mais de 40 faltas no trabalho de servidora pública, justificando-as com atestados médicos, mas que, no entanto, também é prestadora de serviços da mesma faculdade. “Estaria Ideni deixando o posto de serviço da qual é concursada para trabalhar em outro local durante o próprio expediente? Provavelmente sim.” Pergunta o site, respondendo logo em seguida.

Pedro Reis enviou uma nota sobre o episódio: “A nossa assessoria jurídica  já está tomando as devidas providências em relação às informações postadas e compartilhadas pelas redes sociais, inclusive por “agentes públicos”. As fakenews deverão revelar a fonte das pessoas envolvidas nessa trama criminosa.” O repórter afirmou ainda que a Polícia Civil já investiga os autores da reportagem.

Um detalhe que chama a atenção é que o site em que a notícia foi publicada traz a seguinte descrição: “Este é um site de entretenimento, as notícias são criadas pelos usuários. As notícias são de conteúdo humorístico e fictício; não devem ser levadas a sério ou utilizadas como fonte de informação.”

Veja a publicação na íntegra aqui neste link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *